Uma situação delicada e a força da razão

O Complexo Laboratorial de Sacavém – antigo Laboratório de Física e Engenharia Nucleares (LFEN) da extinta Junta de Energia Nuclear (JEN) – passou por uma situação de indefinição particularmente delicada, sobretudo a partir de 20 de Novembro de 1992, data em que se teve conhecimento da decisão do Ministro da Indústria e Energia, eng. Mira Amaral, de excluir o Instituto de Ciências e Engenharia Nucleares (ICEN) e o Departamento de Protecção e Segurança Radiológica (DPSR) da estrutura orgânica do Instituto Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial (INETI), que sucedeu ao Laboratório Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial (LNETI).

Em consequência daquela situação – que foi injustificadamente criada e que chegou a pôr em perigo um património científico ímpar a nível nacional – o ICEN foi notícia nos órgãos de comunicação social, entre 1992 e 1994. Uma vez que algumas das facetas mais importantes do processo então vivido ficaram registadas em páginas de jornais, afigura-se interessante coligir a informação mais relevante que foi publicada na época.

A compilação que se segue de artigos, reportagens e notícias de Jornais deve ser entendida como um contributo para a história do Complexo Laboratorial de Sacavém.

A crise de 1992-1994 acabou por ter um desfecho sensato. O Complexo Laboratorial de Sacavém continuou a sua existência, agora com a designação de Instituto Tecnológico e Nuclear, e assim se mantém… (cf. http://www.itn.pt )

O Laboratório de Estudos Nucleares de Sacavém nos jornais, 1992-1994  (documento PDF)

Eduardo Martinho

Anúncios
Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário